• Ana do Carmo

Crítica por Ana do Carmo, para o curta "Veneno"

Veneno é um curta-metragem de ficção da Ato3 Produções, dirigido e escrito por Kauan Oliveira, que conta a história de Sílvia: uma jovem empregada doméstica negra, que precisa se livrar de um rato escondido na cozinha onde trabalha, enquanto lida com os abusos de sua patroa. Com uma narrativa atemporal, o filme tensiona questões urgentes através de uma atmosfera imersiva, fundindo drama com suspense. Como brilhantemente pontua a escritora e historiadora Preta Rara em sua obra Eu, Empregada Doméstica, "a senzala moderna é o quartinho da empregada". E a narrativa do curta traz brilhantemente, através do olhar de Sílvia, os sonhos de uma aspirante a designer de moda serem substituídos pelo terror da herança histórica colonial brasileira, que reserva à corpos pretos o trabalho servil.


Cartaz por: Anderson Prado
Cartaz por: Anderson Prado

A história é dividida em três capítulos: O Invasor, Vestido à Caráter e No Jantar, onde acompanhamos o percurso de Sílvia. De início, somos apresentadas à uma falsa sensação de pertencimento na casa de Suzana, sua patroa. Porém, à empregada é destinada a cozinha como espaço de almoço e, além de acumular funções dentro da casa como lavar roupa, cozinhar e limpar, cabe à Sílvia também matar o rato invasor. Diferente da esmagadora maioria dos filmes onde a patroa usurpa o ponto de vista da narrativa em contraste à personagens rasas e esteriotipadas em papéis de subserviência, Veneno nos aprenta Sílvia como uma personagem complexa e tridimensional, que é olhada mas que também olha. Seu grande ponto de virada se dá justamente ao reinvindicar a tomada de decisões sobre seu corpo e suas ações, o que gradativamente acirra sua relação com Suzana.

A direção perspicaz de Kauan Oliveira nos emociona com sua verdade. Veneno é o sexto filme do realizador, que é natural de Jequié, que trabalha como diretor, roteirista e montador, tendo sido selecionado para diversos festivais nacionais e internacionais. Como roteirista, integra o desenvolvimento de roteiro da série “Memórias de Sangue: O Vampiro que Descobriu o Brasil”, adaptado da obra de Ivan Jaf por Daniel Leite Almeida. Destaca-se também como montador dos curtas “Passarinho” de Vinícius Pessoa, “Pinote” e “O Ovo” de Rayane Teles, “Entre o Ninho e as Andorinhas” e co-montagem do longa-metragem “Alice dos Anjos”, selecionado pelo Ministério da Cultura em um edital de Produção de filmes B.O. Infanto-Juvenil de 2016.

A mulher negra não é apenas o "Outro", mas um “Outro do Outro”, como afirma Grada Kilomba, pois dentro do "movimento feminista" é negra, e dentro da comunidade negra é mulher. E a história é ainda muito mais complexa, uma vez que as possibilidades de interssecionalidades são inúmeras. E para dar visibilidade à vivência de uma mulher negra, jovem e sonhadora, a trilha sonora de suspense nos instiga e nos conduz, a direção de fotografia nos arranca da realidade nos fazendo refletrir sobre nossa própria realidade, contando com a fantástica atuação-protagonista da atriz Tainah Paes.


- Ana do Carmo.

115 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo